Pensamento do Dia #6: (Sobre Festivais e Jejum, 6-7)

Reserve um certo número de dias, durante os quais você se contentará com a alimentação mais barata e escassa, com vestes grosseiras e ásperas, dizendo a si mesmo: “É esta a situação que eu temia?“. É precisamente em tempos tranquilos que a alma deve endurecer-se de antemão para ocasiões de maior estresse, e é enquanto a fortuna é amável que se deve fortalecer contra violência. Em dias de paz, o soldado executa manobras, lança obras de terraplenagem sem inimigo à vista, e se exercita, a fim de se tornar indiferente a labuta inevitável. Se você não quer que um homem recue quando a crise chegar, treine-o antes que ela chegue.

(Sêneca, Carta XVIII. Sobre Festivais e Jejum, 6-7 ) (Imagem: Daniele Crespi, Jejum de São Carlos Borromeo)

Pensamento do Dia #4 (Razões para se retirar do mundo, 5)

Aquele que anseia riquezas sente medo por conta delas. Nenhum homem, no entanto, goza de uma bênção que traz ansiedade; ele está sempre tentando adicionar um pouco mais. Enquanto ele se intrica em aumentar sua riqueza, ele se esquece de usá-la. Ele recolhe suas contas, desgasta o pavimento do fórum, ele revira seu livro-razão, – em suma, ele deixa de ser mestre e torna-se um mordomo.

(Sêneca, Carta XIV. Sobre as razões para se retirar do mundo, 5) (Imagem: Homen contando dinheiro – por Cornelis de Man)

Pensamento do Dia #3: (Sobre medos infundados, 5)

Algumas coisas nos atormentam mais do que deveriam; algumas nos atormentam antes do que deveriam; e algumas nos atormentam quando não deveriam nos atormentar. Temos o hábito de exagerar, imaginar, antecipar, a tristeza. A primeira dessas três faltas pode ser adiada no momento, porque o assunto está em discussão e o caso ainda está no tribunal, por assim dizer. O que eu chamo de insignificante, você considerará a ser mais grave; pois é claro que eu sei que alguns homens riem enquanto são açoitados, e que outros estremecem com um tapa orelha. Consideraremos mais tarde se esses males derivam seu poder de sua própria força ou de nossa própria fraqueza.

(Sêneca, Sobre medos infundados, 5) (Imagem: O Grito – por Munch)

Pensamento do Dia #2: (Sobre a Velhice, 6-7)

A Morte, no entanto, deve ser olhada no rosto por jovens e velhos. Nós não somos convocados de acordo com nossa idade. Além disso, ninguém é tão velho que seria impróprio esperar mais um outro dia de existência. E um dia, lembre-se, é uma etapa na jornada da vida. Nosso escopo de vida é dividido em partes; consiste em grandes círculos que encerram menores. O menor círculo de todos é o dia; mas mesmo um dia tem seu começo e seu término, seu nascer e seu pôr-do-sol.

Portanto, todos os dias deveriam ser regulados como se fechassem a série, como se estivessem completando nossa existência. Quando um homem diz: “Eu tenho vivido!” toda manhã que acorda, recebe um bônus.

(Sêneca, Sobre a Velhice, 6-7) (Imagem: Morte de Sêneca – por David)