Pensamento do dia #10: Sobre Viajar como cura para o descontentamento 1-2

Você está surpreso, como se fosse uma novidade, que depois de tão longa viagem e tantas mudanças de cena você não tenha sido capaz de se livrar da tristeza e do peso de sua mente? Você precisa de uma mudança de alma, em vez de uma mudança de clima.

Sócrates fez a mesma observação a alguém que se queixou; ele disse: “Por que você se admira que viajar o globo não o ajuda, visto que você sempre se leva consigo? A razão que o colocou a vagar está sempre em seu calcanhar.” Que prazer há em ver novas terras? Ou na inspeção de cidades e pontos de interesse? Toda a sua agitação é inútil. Você pergunta por que tal fuga não o ajuda? É porque você foge acompanhado de você mesmo. Você deve deixar de lado os fardos da mente; até que você faça isso, nenhum lugar irá satisfazê-lo.

(Sêneca, Carta XXVIII.  Sobre Viajar como cura para o descontentamento 1-2 ) (Imagem: Stoopendaal, mapa do Mundo)

Carta 5: Sobre a virtude do Filósofo

Sêneca explica o significado do lema “Viva de acordo com a Natureza” e recomenda um estilo de vida frugal e comedido , evitando avarice e luxos extremos. Fala sobre esperança e medo, apresentando uma relação surpreendente entre ambos.

Finalmente exorta a aproveitarmos o presente sem ansiedade pelo futuro ou atormentação pelo passado.

—–

Saudações de Sêneca a Lucílio.

  1. Eu o elogio e me encho de contentamento pelo fato de você ser persistente em seus estudos, e que, colocando tudo de lado, você a cada dia se esforça para se tornar um homem melhor. Não me limito a exortá-lo a continuar; eu realmente imploro que você faça isso. Advirto-o, no entanto, para não agir de acordo com a moda daqueles que desejam ser notáveis em vez de melhorar, fazendo coisas que despertarão comentários sobre o seu vestido ou estilo geral de vida.
  2. Deve ser evitado trajes repulsivos, cabelos desgrenhados, barba desleixada, desprezo aberto ao uso de talheres e quaisquer outras formas pervertidas de auto exibição. O mero conceito de filosofia, ainda que silenciosamente perseguido, é objeto de suficiente desprezo; E o que aconteceria se começássemos a nos afastar dos costumes de nossos semelhantes? Internamente, devemos ser diferentes em todos os aspectos, mas nosso exterior deve estar em conformidade com a sociedade.
  3. Não se vista demasiadamente elegante, nem ainda demasiadamente desleixado. Não se precisa de peitoral de prata, incrustado e gravado em ouro maciço; mas não devemos acreditar que a falta de prata e ouro seja prova da vida simples. Procuremos manter um padrão de vida mais elevado do que o da multidão, mas não um padrão contrário; caso contrário, assustaremos e repeliremos as mesmas pessoas que estamos tentando melhorar. Temos que compreender que eles estão relutantes a nos imitar em qualquer coisa, porque eles têm medo de que eles sejam compelidos a imitar-nos em tudo.
  4. A primeira coisa que a filosofia se compromete a dar é o companheirismo entre todos os homens; em outras palavras, simpatia e sociabilidade. Nós nos diferenciamos se nós somos diferentes dos outros homens. Devemos velar para que os meios pelos quais desejamos atrair admiração não sejam absurdos e odiosos. Nosso lema, como você sabe, é “Viva de acordo com a Natureza[1]; mas é bastante contrário à natureza torturar o corpo, odiar a elegância espontânea, ser sujo de propósito, comer comida que não é somente simples, mas repugnante e desagradável.
  5. Assim como é um sinal de luxo procurar finas iguarias, é loucura evitar o que é habitual e pode ser comprado a preço razoável. Filosofia exige vida simples, mas não de penitência; e podemos perfeitamente ser simples e asseados ao mesmo tempo. Este é o meio de que eu sanciono; nossa vida deve se guiar entre os caminhos de um sábio e os caminhos do mundo em geral; todos os homens devem admirá-la, mas devem compreendê-la também.
  6. “Bem, então, agiremos como os outros homens? Não haverá distinção entre nós e o mundo?” Sim, muito grande; que os homens descubram que somos diferentes do rebanho comum, se olharem de perto. Se eles nos visitam em casa, eles devem nos admirar, ao invés de nossas mobílias. É um grande homem quem usa pratos de barro como se fossem de prata; mas é igualmente grande quem usa prataria como se de barro fosse. É o sinal de uma mente instável não poder tolerar riquezas.
  7. Mas desejo compartilhar com você o saldo positivo de hoje também. Encontro nos escritos de nosso Hecato[2] que a limitação dos desejos ajuda também a curar medos: “Deixe de ter esperança”, diz ele, “e deixará de temer”. Mas como, “você vai responder, “coisas tão diferentes podem ir lado a lado?” Deste modo, meu caro Lucílio: embora pareçam divergentes, contudo estão realmente unidas. Assim como a mesma cadeia prende o prisioneiro e o carcereiro que o guarda, assim a esperança e o medo, por mais dissimilares que sejam, caminham juntas; o medo segue a esperança.
  8. Não me surpreende que procedam dessa maneira; cada conceito pertence a uma mente que está incerta, uma mente que está preocupada aguardando com ansiedade o futuro. Mas a causa principal de ambos os males é que não nos adaptamos ao presente, mas enviamos nossos pensamentos a um futuro distante. E assim a previdência, a mais bela benção da raça humana, torna-se pervertida.
  9. Animais evitam os perigos que veem, e quando escapam estão livres de preocupação; mas nós homens nos atormentamos sobre o que há de vir, assim como sobre o que é passado. Muitas de nossas bênçãos trazem a nós desgraça; pois a memória recorda as torturas do medo, enquanto a antevisão as antecipa. O presente sozinho não faz nenhum homem infeliz.

Mantenha-se Forte. Mantenha-se Bem.

[1] Lema da escola estoica.

[2] Hecato de Rodes foi um filósofo estoico, discípulo de Panécio de Rodes.

(imagem: Entre Esperanaça e Medo – por Lawrence Alma-Tadema )

Pensamento do dia #9 (Sobre a Ira, III.24)

Pensamento do Dia para a véspera de Natal é sobre o perdão.

Essa é a primeira ofensa dele? pense quanto tempo ele tem sido correto. Ele já errou muitas vezes e em muitos outros casos? Então, continuemos a suportar o que temos suportado por tanto tempo. Ele é amigo? Então ele não pretendia ofendê-lo. Ele é um inimigo? Então, ao fazê-lo, ele cumpriu seu dever.

(…)

Seja quem for [que o ofendeste], digamos a nós mesmos em seu favor, que mesmo os mais sábios dos homens frequentemente erram, que ninguém está tão alerta que sua atenção nunca se trai, que ninguém é tão maduro que sua mente não possa ser estimulada pelas circunstâncias a uma ação calorosa, que, na verdade, ninguém, por muito cuidadoso que seja, pode evitar eventualmente ofender, mesmo enquanto tenta evitar isso. (Sêneca, Sobre a Ira, III.24), On Anger, III.24)

Seja indulgente ou, pelo menos, compreenda as ações de outras pessoas. (Imagem: moeda Antoninus Pius, um dos cinco bons imperadores,  mostrando as mãos dadas, o símbolo da amizade)

Pensamento do Dia #08: (Carta 22: Sobre a Futilidade de Meias Medidas)

Esteja satisfeito com o negócio ao qual você se dedicou, ou, como prefere que as pessoas pensem, o negócio que lhe foi imposto. Não há nenhuma razão pela qual você deva estar lutando para mais; se o fizer, perderá toda a credibilidade, e os homens verão que não foi uma imposição. A explicação usual que os homens oferecem é errada: “Eu fui compelido a fazê-lo, suponho que era contra minha vontade, eu tinha que fazê-lo.” Mas ninguém é obrigado a perseguir a prosperidade à velocidade máxima;

Dos negócios, no entanto, meu caro Lucílio, é fácil escapar, basta você desprezar suas recompensas. Nós somos retidos e impedidos de escapar por pensamentos como estes: “O que, então? Deixarei para trás estas grandes oportunidades? Devo partir no momento da colheita?  Assim, os homens deixam tais vantagens com relutância; eles amam a recompensa de suas dificuldades, mas amaldiçoam as dificuldades em si. Procure na mente daqueles que lamentam o que já desejaram, que falam em fugir de coisas que não podem deixar de ter; você vai compreender que eles estão se demorando por vontade própria em uma situação que eles declaram achar difícil e miserável de suportar.

É assim, meu caro Lucílio; existem alguns homens que a escravidão mantém presos, mas há muitos mais que se apegam à escravidão.

Continue lendo “Pensamento do Dia #08: (Carta 22: Sobre a Futilidade de Meias Medidas)”

Pensamento do Dia #7: (Sobre a Ira. III, 11)

Há muitas maneiras pelas quais a raiva pode ser controlada; A maioria das coisas pode ser transformada em brincadeira. “Diz-se que Sócrates, quando recebeu um tapa na orelha, simplesmente disse que era uma pena que um homem não pudesse saber quando devia usar seu capacete ao caminhar.” Não importa muito quão grave uma lesão foi feita, mas sim como é suportada;
(Sêneca,  Sobre a Ira. III, 11 ) (Imagem: Antigo capacete grego)
Senso de humor: sua defesa contra o universo.

 

Pensamento do Dia #6: (Sobre Festivais e Jejum, 6-7)

Reserve um certo número de dias, durante os quais você se contentará com a alimentação mais barata e escassa, com vestes grosseiras e ásperas, dizendo a si mesmo: “É esta a situação que eu temia?“. É precisamente em tempos tranquilos que a alma deve endurecer-se de antemão para ocasiões de maior estresse, e é enquanto a fortuna é amável que se deve fortalecer contra violência. Em dias de paz, o soldado executa manobras, lança obras de terraplenagem sem inimigo à vista, e se exercita, a fim de se tornar indiferente a labuta inevitável. Se você não quer que um homem recue quando a crise chegar, treine-o antes que ela chegue.

(Sêneca, Carta XVIII. Sobre Festivais e Jejum, 6-7 ) (Imagem: Daniele Crespi, Jejum de São Carlos Borromeo)

A filosofia do Estoicismo

Ao invés de imaginar uma sociedade ideal, o estoico tenta lidar com o mundo do jeito que é enquanto persegue autodesenvolvimento através de quatro virtudes cardinais:
  • Sabedoria prática, a habilidade de navegar situações complexas de forma lógica, informada e calma;
  • Temperança, o exercício de autorrestrição e moderação em todos os aspectos da vida;
  • Justiça, tratar outros justamente mesmo quando eles fizeram algo errado;
  • e Coragem, não só em circunstâncias extraordinárias, mas ao encararmos desafios diários com claridade e integridade.
  

Excelente resumo do estoicismo, apesar de falado somente em inglês as legendas em português estão bastante razoáveis: